domingo, junho 29, 2008

Estrondo

Durante as mudanças da Lua nos equinócios, em diferente partes do mundo, as águas fluviais se encontram com as águas do mar. Sendo chamado na Inglaterra de bore; na França de bare ou mascaret; no Brasil é chamado de pororoca, emprestado do tupi poro'roka, de poro'rog, que significa "estrondar", dado a força desse fenômeno em nosso território, capaz de arrastar árvores de grande porte e modificar o leito dos rios.
Para mim, entendo como um grande encontro entre forças naturais. Tomando emprestado este termo, inicio hoje aqui uma nova coluna, que fala de encontros estrondosos, que modificam cursos e varrem a alma, como, por exemplo, esta música da Loreena McKennitt, cantando e tocando arpa, enquanto o ator shakesperiano Douglas Campbell declama o prólogo de uma peça de William Blake. Uma verdadeira Pororoca das artes.

2 comentários:

Criptor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
xistosa - (josé torres) disse...

Nunca ouvi aquela outra cantora lírica ...

Talvez um dia a oiça ...

Foi ela que me fez gostar da Loreena McKennitt.

Uma boa semana, que eu vou para o ginásio.
No sábado, um casamento.
No domingo outro.
O crocodilo deita-se ao sol, não é ?
É o que vou fazer!
Tudo de bom.