quarta-feira, abril 09, 2008

O fim do morcego

Outro dia, no translado quarto-sala, vi que havia um morcego morto no meio do corredor, o decujo era menor que a palma da minha mão. Foi uma visão incômoda, de fato, mas já vi coisas piores por aqui.
Quando a gata ficava horas no sótão ou brincando de agarrar os morcegos que davam rasantes, nós brincávamos, dizendo para ficar longe dele, porque, por mais coisas que ele pudesse prometer, não era milionário e não ia dar conforto nenhum a ela. Então, depois do assassinato, a piada foi que o Batman finalmente foi derrotado.
Naturalmente que, por ser minoria nesta casa, a única com polegares opositores; o trabalho sujo de remoção do cadáver coube a mim. Numa curiosidade mórbida que me é muito comum às vezes, fui ver no que sobrou qual foi o jeito de conseguir aquilo que algumas das mentes mais fantásticas, Coringa e cia., tentaram tanto e não conseguiram. Depois de notar que, entre outras coisas, as asas haviam sido arrancadas (e, naturalmente, engolidas), me caiu uma ficha dolorosa: universo DC Comics é o cacete, minha gata tá mais pro lado do Ozzy Osbourne mesmo.

2 comentários:

xistosa disse...

O morcego se alimenta de ...
Aí não sei se é malária, paludismo, dengue ou outra doença que os ataque.

Podem é transmitir a raiva.

Tudo morre na natureza e não há um local próprio para cada espécie.

Criptor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.