sábado, maio 16, 2009

Janela indiscreta - parte VI

Estava entregue ao seu passatempo de sexta-feira à tarde, olhando as roupas no varal, se perguntando se ainda estavam cheirando àquele amaciante, conferia a louça do café-da-manhã ainda na pia esperando pelo detergente, o pequeno maltês dormindo sobre o sofá, a cama ainda desfeita, preservando as dobras que ela havia feito no lençol, a toalha molhada esquecida na poltrona, a nova cafeteria expresso que havia chegado essa semana que caia como uma luva nos ares daquela cozinha com seu design italiano e a sua caixa de papelão que ainda não tinha ido para o lixo, a porta do guarda-roupa que havia ficado aberta, os papéis e contas sobre a mesa.
— Essa sua falta de tempo tá me matando.
E então foi surpreendido, o cachorro saltou da almofada e correu à porta que abria. Ela apareceu, esbaforida, com algumas sacolas, falando ao celular. Não fez a festa habitual ao pequeno, lançou o que tinha nas mãos na primeira cadeira e correu para o quarto.
E o coração do voyeur acelerou, fazendo com que ele respirasse ruidosamente e se preocupasse em ser ouvido. Era a primeira vez que a captava em suas lentes ainda com a luz do dia, temeu não bastar estar com as lâmpadas da sala apagadas, mas isso não o fez sair dali, preferiu correr o risco.
E ela estava alheia, entrou no banheiro como sempre faz, já descalça e terminando de desabotoar a blusa que começou a abrir no corredor.
Impotente, tinha que se contentar em assistir o espelho do banheiro embaçar sem nem ao menos saber onde estava o cachorro.
E cruzou a porta uma figura molhada, desnuda, deixando pingar no chão a água que ainda estava nos cabelos, correndo em direção ao telefone.
E o pobre telespectador não teve dúvidas, cobriu a lente com uma das mãos enquanto se afastou daquela visão, chocado e enrubecido.
Não, não estava ali para isso; ela, tão especial, não era para ser tratada como essas outras, quaisquer, que só têm a nudez para oferecer de bom, que não passam de páginas de revista.

2 comentários:

Criptor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rico disse...

...