domingo, janeiro 10, 2010

Sobre lógica e o ladrão

Como alguns podem imaginar, já conheci uma boa parcela de gente maluca, psicopata, daquelas que te batem e ainda reclamam de você não agradecer. Ironia da vida, também, foi que este blog recebeu uma parcela dessas pessoas, que até se acharam no direito de me atacar através de comentários. Não bastasse serem doentes, ainda são covardes. Mas não e bem sobre isso que vim aqui falar. Eu lembro numa época em que minha vida tava em baixa, eu, extremamente infeliz com tantas coisas e tantos padrões ruins na minha vida, desabafo com uma grande amiga, e era bom desabafar com ela, tinha uma filha da minha idade, era divorciada e psicóloga, então ela sempre tinha uma outra visão das coisas, tinha idéias claras e estava sempre disposta a ajudar. De certa forma, nossa amizade era um problema, porque eu queria que alguém como ela fosse minha analista, mas bons amigos são sempre dádivas. Ela, por exemplo, me deu um dos presentes que mais guardo dentro de mim:
— Não confunda a doença dos outros com a sua.
Ouvir isso foi quase como morrer, minha vida passou diante dos meus olhos. Então eu percebi que se tinha alguma culpa naquilo que as pessoas fizeram contra mim, é porque eu não escolhi de forma criteriosa quem entra na minha e daí também não dei a essas pessoas o espaço que elas mereciam, dei além. E só, minha jurisdição não cobre a vontade e as ações do outro. Esse papo de que "a ocasião faz o ladrão" é uma forma de não responsabilizar o outro por falta de caráter e por índole desonesta. Penso que o ladrão que vê em tudo uma ocasião, e não o contrário, o que me parece natural, afinal, vemos aquilo que realmente é relevante e significativo para os nossos olhos. E uma das maiores habilidades da lógica é encontrar justificativa para aquilo que queremos fazer.

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Uma das maiores "habilidades" da lógica é não me intrometer em filosofias, filosóficas (rsss, rsss, rsss).
Então, será pedir muito, ver para além do relevante?
O relevante não será bastante?

Cumprimentos.