quinta-feira, junho 10, 2010

Maravilhas da razão

O ser humano é uma criatura fascinante. De verdade, com mecanismos de defesa e padrões curiosíssimos. Nem sempre achamos isso porque não temos o devido afastamento para deixar as coisas claras. São como aquelas piadas política ou tragédia. Se é com a gente, perde a graça. E isso é, aliás, outro mecanismo fascinante da (suposta) dileta criatura divina.
Uma das coisas, por exemplo, que acho mais curiosa de todas é uma frase mágica que raros são os de nossa espécie que nunca a falaram — só os afásicos de fala:
— Você acha que está sempre certo(a).
Acho que o primeiro aspecto curioso/fascinante desta sentença é que eu realmente nunca vi alguém que seja capaz de defender um opinião mesmo que discorde dela. Algo do tipo "sim, a Terra é redonda, eu sei, mas vou defender para o resto da vida que ela é do formato de um charuto". Mas o que eu acho curioso mesmo é que, se alguém reclama disso, só reclama pelo fato de que o outro não se dobre à sua lógica.

2 comentários:

Mario Koller disse...

Na verdade, não. Existe, é claro o fato de querermos que a outra pessoa enxergue as coisas de nossa ótica.
O ponto em questão é: quando uma pessoa se proclama autossuficiente e não quer, sequer tentar, olhar pela ótica do outro, esta está embuida do fato de acreditar que está absolutamente certa sobre o tema em discussão. E isso é querer estar sempre certo, pois esta pessoa, com medo de descobrir que pode estar errada ao se permitir olhar por outro ângulo, adota a postura de não querer saber ou de automaticamente discordar do ponto de vista alheio.

Isso não tem nada a ver com querer que o outro se dobre à sua lógica, mas que olhe pela mesma ótica que a sua e reflita sobre aquele ângulo. Só então, depois de analisados os dois pontos, dizer se concorda ou não.

Márcio Silva disse...

A verdade é a coisa de domínio público que mais tem pseudo-donos por aí.