quinta-feira, julho 22, 2010

O velho e o novo

O Velho e o Mar foi, talvez, o único ponto de concordância entre o pai da obra, Ernest Hemingway, e o seu público. Para o autor, era a melhor coisa que havia escrito. Infelizmente, não posso endossá-lo em sua opinião, li muito pouco de suas linhas. Posso, sim, concordar que é um livro notável, saboroso, para se ler com calma e dormir abraçado na rede. O velho Santiago é um homem notável, dá para se apaixonar por ele, assim como pelo Peixe.
Quem me lê há um bom tempo lembra até de um triste momento envolvendo a animação inspirada na história. Mas, felizmente, isso é passado. Hoje, tive o prazer de vê-la em tela grande, sala escura e efeito Dolby. Digo que valeu a pena esperar.  Se o velho Hemingway estivesse vivo para ver, ele teria se sentido muito feliz com tamanha beleza. Confiram vocês mesmos:


E meus mais sinceros agradecimentos ao designer Gabriel, um dos DJs, por ter me avisado da data e do horário. Merece flores!

2 comentários:

Ricardo Artur disse...

Que bela peróla!!! Quando não estiver tão enrolado com meu exame de qualificação, pararei para assitir!
Mas foi bom ver um pedacinho para me animar nesta manhã.

Beluga disse...

You´re Welcome!!