quarta-feira, setembro 16, 2009

Explica?

Depois de todos os anos da minha vida, eu criei vergonha na cara e comecei a fazer psicanálise. Como testemunho de causa própria, acho válido encarar o divã sem grilos. Até porque seu terapeuta agradece por não ter que ficar com rosto de atriz global da velha guarda, cheio de botox, inexpressivo.
E, na mesma direção, recomendo fazer terapia ao invés de ir à terapia simplesmente. Afinal, o preço é o mesmo e também gasta-se o mesmo tempo. Recomendo, a qualquer um, porque às vezes as pessoas têm problemas porque a mãe era repressora, e às vezes as pessoas têm problemas porque a mãe era liberal, então acho que vocês já entenderam onde quero chegar. Mas preparem-se, há até algumas vezes em que vamos lá falar dos nossos problemas, que nós mesmo causamos; mas na maior parte das vezes vamos lá falar das posturas dos outros e tentamos, simplesmente, tratar (leia-se anular) este poder que as pessoas têm de provocar em nós efeitos colaterais de seus próprios problemas. Tô gostando, achando válido, mesmo que eu me pergunte se Freud era mesmo capaz de explicar tudo isso.
E terminando de falar de problemas, uma pessoa queridíssima tem na ponta da língua uma resposta ótima àquela postura das pessas de eu-não-tenho-problemas-para-levar-à-terapia. Ela diz:
- Eu tenho todos menos um: esse seu de se achar auto-suficiente.

2 comentários:

lulu! disse...

terapia, psicanálise e psiquiatra deveriam estar garantidos incondicionalmente a toda a população do mundo! rs

de "louco" todo mundo tem um pouco!
quem é mesmo louco nunca acha que é!
mas todo mundo precisa disso, ao menos eventualmente, sim!

xistosa - (josé torres) disse...

Não sou auto-suficiente,
Mas os problemas que levanto a mim próprio, sou eu que os trato.
Nem poderia ser de outro modo.
"Cá se fazem, cá se pagam"
O Freud era nervoso e colocou os estudantes mais nervosos porque tinham que descobrir o que ele queria.
Eu faço um desenho dos sonhos e escrevo como os nervos se comportam no dia-a-dia.
Um dia que me deite para a terapia, levanto-me logo e curado ... rsss, rsss, rsss

Um abração.